Sobre a Drag à Gozar

O vídeo poderia ser facilmente ser considerado mais uma das muitas bobagens que se encontra na internet,porém se repararmos bem veremos uma grande ironia.Ao brincar com as gírias gays e o estereótipo imposto e, alem disso,apresentar vários tipos dentro do estereótipo,coloca-se o dedo na ferida.Na rede mundial de computadores,o vídeo se tornou  “hit” ,talvez por apresentar a violência do conteúdo em forma de deboche,o deboche em cima do deboche,que se traveste de uma capa de leveza,assim atingindo mais pessoas.E muitos vídeos ,blogs ,flogs com essa mesma linha de visualidade tem ganhado cada vez mais espaço e mais admiradores.

Essa prática ganha cada vez mais espaço,inclusive migrando para mídias de massa ,se bem que em alguns casos vem mesmo tendo esse formato copiado por alguns programas de televisão,o que deixa esse discurso empobrecido e sem essa força de conteúdo.

A prática acima citada pode também pode ser chamada de “Ode  ao Deboche”,pois o próprio deboche,a brincadeira já tem em si a capacidade de apresentação que de uma forma ou outra se faz presente e de quebra tem grande aceitação por parte da sociedade e torna-se um bom canal para tirar uma discussão.Vale a pela a reflexão,pois como dizem por aí,”toda brincadeira tem um fundo de verdade.”

Por Leonardo Freitas

Esse post foi publicado em Teoria queer, Visual Culture e marcado . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s